TEM NEWS

#19 Concreto que absorve CO2 é uma das inovações apresentadas no Sobratema Summit

Concreto
Imagem: Pixabay

Concreto que absorve CO2 é uma das inovações apresentadas no Sobratema Summit

O engenheiro e editor da revista Concrete Construction, Bill Palmer, apresentou, em palestra no Sobratema Summit 2017, durante a Semana das Tecnologias Integradas para Construção, Meio Ambiente e Equipamentos, que foi realizada na última semana no São Paulo Expo, os mais recentes materiais e técnicas de construção em concreto nos Estados Unidos e no mundo. Nesse sentido, o concreto auto adensável ocupa o primeiro lugar em utilização pela indústria norte-americana, uma vez que dispensa a técnica vibratória e evita a segregação do material; em seguida, aparece o concreto reforçado por fibras tipo micro, macro e as de aço, as últimas usadas largamente também em países da Europa.

Concreto
Bill Palmer, Editor da Concrete Construction

Já para a construção de pisos e lajes, a principal novidade são medidores eletrônicos de umidade do concreto. Tais equipamentos, alguns dotados de tecnologias wireless, garantem, com precisão, o ponto do material, evitando problemas durante a execução da obra e futuras patologias. Não é apenas dentro do canteiro de obras que a tecnologia avança. Nos Estados Unidos começa o uso de estratégias de telemática para o monitoramento de caminhões que saem de fábricas de concreto e vão até o local da obra. “Com esse sistema, é possível escolher a melhor rota e prever em quanto tempo o material é deslocado, economizando tempo e dinheiro”, conclui Palmer.

Concreto
Rick Yelton, da World of Concrete

Quem também participou do debate foi Rick Yelton, engenheiro e assessor do World of Concrete. Segundo Rick, o que vem pautando a produção do concreto nos últimos anos é a questão da sustentabilidade. É pensando nesse aspecto que fábricas norte-americanas inventaram um tipo de concreto que leva CO2 em sua formulação; dessa maneira, o gás carbônico que sairia pelas chaminés para alcançar a atmosfera é coletado e introduzido na mistura do material, o que resulta na economia de 5% de cimento. Outra questão de sustentabilidade é o recurso da cura interna do concreto; com essa técnica são introduzidos materiais semelhantes a esponjas no concreto, que soltam água aos poucos. “A técnica é ecológica, pois faz com que a água seja usada de maneira mais eficiente, economizando esse recurso precioso”, afirma Yelton.

 

Fonte: Mecânica de Comunicação – Sylvia Mie

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

ibape

Ibape/SP abre inscrições para cursos de outubro com foco em perícias

Valoração ambiental, perícias judiciais e acessibilidade estão na grade dos cursos de outubro. As inscrições …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *