sexta-feira , 15 dezembro 2017
TEM NEWS

Brasil ganha a primeira cidade inteligente social do mundo

cidade
Projeto da entrada da Smart City Laguna – Divulgação

Ceará será palco da Smart City Laguna, uma cidade com projeto sustentável e racional do planejamento à construção. Conheça!

Ter notícias sobre cidades sustentáveis ou, sobretudo, de uma cidade inteligente não é muito comum por aqui. O que é uma pena, uma vez que metrópoles que seguem tais conceitos são mais eficientes do ponto de vista ambiental e econômico, além de socialmente positivas, com vistas ao bem-estar de seus cidadãos. Porém, na contramão da realidade nacional, o projeto piloto Smart City Laguna chegou ao Brasil para provar que o país tem tudo para adotar cidades mais verdes, com excelente planejamento e menos impactos à sociedade e natureza.

Concebido em 2011 e após três anos de elaboração, organização e estudos técnicos, foi dado início às obras do empreendimento, que terá todo o seu núcleo urbano entregue até dezembro de 2020. O projeto da cidade inteligente promete “criar uma infraestrutura de alto padrão e definitiva, na qual a necessidade de manutenção seja mínima, com residências de padrão arquitetônico moderno e harmonioso aliado a conforto e funcionalidade”. A ideia é proporcionar um qualificado perfil inovador, mas acessível a todos e não só a níveis de renda mais elevado.

 

cidade
Susanna Marchionni, da SG Desenvolvimento

Quem explica o objetivo da iniciativa é Susanna Marchionni, administradora da SG Desenvolvimento, empresa responsável por realizar o projeto no Brasil. Segundo ela, a “cidade projetada para o futuro” será composta por habitações sociais para 25 mil moradores – seguindo os padrões do programa “Minha Casa, Minha Vida” –, tendo sido estrategicamente construída no distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante (CE), por ser considerada uma relevante via comercial e por seu alto potencial de valorização e desenvolvimento econômico.

 

cidade
Os pilares da Smart City Laguna, segundo o Grupo Planet, empresa italiana idealizadora do projeto – Divulgação

 

Smart City em detalhes – sustentabilidade e tecnologia

Tratando-se de uma obra que envolve o desenvolvimento estrutural iniciado, literalmente, da terra bruta, o projeto da cidade inteligente cearense tem como prioridade a racionalização dos processos com o intuito de diminuir ao máximo o impacto ambiental. A começar pela pavimentação com 
intertravados, que conta com procedimentos automatizados e produção não poluente. Já para a construção das casas será empregada tecnologia de fôrmas, que permite agilidade, reduz a geração de resíduos e elimina o desperdício de materiais.

 

cidade
Uma indústria de pré-moldados foi instalada no local, automatizando os processos – Divulgação

 

Em relação ao paisagismo adotado aos 7.400 lotes da cidade sustentável – desses, aproximadamente 2.400 destinados à edificação de habitações –, Susanna observa que para o cultivo de áreas verdes a escolha foi por matéria orgânica e mudas com base na compostagem, considerada uma das formas mais eficazes de reciclagem de materiais orgânicos. “Outra vantagem é a redução significativa na emissão de gases potencialmente nocivos à saúde e a diminuição de 70% do volume de resíduos naturais”.

 

cidade
Divulgação

 

Os demais métodos construtivos, sociais e tecnológicos incluirão:

– Um projeto urbanístico pensado para atender as necessidades dos habitantes relacionadas a acessibilidade, mobilidade, segurança e o que mais envolver qualidade de vida.

– Ruas e avenidas com ligação tubular e distribuição de cabeamento elétrico subterrâneos.

– Iluminação pública com lâmpadas de LED em postes que dispõem de painéis fotovoltaicos.

– Estação de abastecimento de carros híbridos e medidores inteligentes para as moradias.

– Uma inédita concepção conceitual de planejamento urbano, que leva em conta a distribuição das áreas verdes por todo o empreendimento.

– Destinação de 70% da drenagem de águas pluviais para a lagoa da cidade, que irá passar por uma intervenção de revitalização e perenização.

– O projeto “Convivência Colaborativa” criado pelo Instituto PLANET, inédito no país e que se estende às residências a fim de estimular o desenvolvimento de uma cultura voltada para a economia doméstica e coletiva.

– A gestão da cidade, com atuação do instituto junto à educação popular, além do auxílio ao poder público na vigilância do respeito às normas estabelecidas pelo plano diretor, especificamente elaborado para o núcleo urbano.

– E a instalação de um biosite, equipamento que irá distribuir sinal de internet grátis nas áreas institucionais do empreendimento.


Vídeo

 

A relação custo/benefício de uma cidade inteligente

Para Susanna, “são imensuráveis os ganhos frente aos custos da Smart City Laguna, sejam eles financeiros, sociais ou ambientais”. Isso porque os retornos práticos após a entrega do projeto serão inúmeros em relação a infraestrutura, inovações sustentáveis, tecnologias, inclusão social, meio ambiente e arquitetura e urbanismo locais. “Nosso projeto busca colocar o cidadão como o centro da cidade e projetá-lo a uma condição de viver além de morar, o que não tem preço”, completa a empresária.

Como se não bastasse a implantação de sistemas e recursos sustentáveis que garantirão maior eficiência à smart city brasileira, a executiva da SG ainda afirma que os envolvidos com a obra têm se dedicado a um estudo que visa a implantação de uma usina geradora de energia elétrica por meio de placas fotovoltaicas, que tem por finalidade proporcionar uma economia de 15% a 20% para os futuros moradores.

Outro estudo específico, encomendado pelo Grupo Planet e que pode se tornar referência à construção civil, traça parâmetros técnicos de infraestrutura aplicados a uma cidade inteligente. Após revisado, o material servirá de base para a criação de um selo de certificação internacional voltado a determinação e níveis de qualificação de empreendimentos do tipo. Um corpo técnico especial ainda avalia a possibilidade de submeter a Smart City Laguna a uma certificação de concepção de parâmetros AQUA-HQE, segundo revela Susanna.

 

Vídeo

 

Ficha técnica

Smart City Laguna

Área construída

330 hectares

Ano de entrega

Primeira fase: dezembro/2017
Segunda fase: dezembro/2020

Realização

Grupo Planet

Construção

SG Construtora, do Grupo SG Desenvolvimento

Pavimentação de intertravados

SG Premoldados

Tecnologia de fôrmas
Construção de casas

OLÉ Casas

Parcerias nos setores de comunicação, energia e tecnologia

Arup
Clevergy
Dellavale
Enel
TIM Brasil
Tyco
Urmet

 

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

Construções Sustentáveis

Construções Sustentáveis apostam no BIM como aliado para projetos

Tecnologia é hoje a principal ferramenta para o desenvolvimento de construções sustentáveis e ecologicamente corretas …

Um comentário

  1. Parabéns pelo projeto.
    Smart City é o assunto do momento em todo o mundo. Nós aqui em Sergipe estamos com vários projetos de Smart City e um deles é com a utilização de beacons, tornando assim todas as empresas, pontos turísticos e a cidade inteligente, conectada com seu público e interagindo com ele de forma inovadora.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *