sábado , 17 fevereiro 2018
TEM NEWS

Empilhadeiras da Somov geram economia de 25% com GLP

Empilhadeiras
Empilhadeira Hyster XT

Empilhadeiras trazem módulos de injeção eletrônica e transmissões inteligentes que proporcionam redução de despesas com combustível

Em tempos de escalada de preços do gás liquefeito de petróleo (GLP), bastante utilizado como combustível de empilhadeiras no Brasil, encontrar soluções que ajudem a diminuir os custos operacionais tem sido algo primordial para a indústria brasileira. Desde julho de 2017, o valor do combustível a granel na refinaria (distribuído aos pontos de utilização – empresas e indústrias – por caminhões-tanque) passou por sete reajustes que elevaram em 40% os seus preços, segundo dados divulgados pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás).

Neste cenário, empresas de segmentos distintos têm buscado combustíveis mais econômicos para as suas operações, ao mesmo tempo em que diversas companhias têm ofertado novas tecnologias que auxiliem na redução dos gastos. Exemplo disso é a Somov, do Grupo Sotreq, especializada na comercialização, aluguel e manutenção de empilhadeiras das marcas Hyster® e Yale®, que lançou dois novos equipamentos com menor consumo de GLP, são eles: a empilhadeira a combustão Hyster XT e a empilhadeira a combustão Yale MX.

Essas máquinas garantem baixo custo para aquisição, têm manutenção simplificada e geram pouca despesa operacional. “As empilhadeiras Hyster-Yale, são fabricadas com módulos de injeção eletrônica e motor PSI 2.4L que possui dois modos de operação (ECO e HiP – High Performance) e contam com transmissões inteligentes que proporcionam uma redução de até 25% com o consumo de GLP, de acordo com testes realizados no Brasil e nos Estados Unidos”, descreve Joaquim Costa, Gerente Comercial da Somov.

 

Alto desempenho e confiabilidade

Empilhadeiras
Empilhadeira Yale MX

 

Com capacidade para movimentar até três toneladas, as versões XT e MX dispõem de sistema de estabilidade patenteado, o Continuois Stability System™, que proporciona maior articulação do eixo de direção em superfícies irregulares, minimizando a inclinação do equipamento e garantindo maior estabilidade lateral (sistema livre de manutenção). Também são equipadas com eixos de tração para trabalhos pesados.

“Normalmente, as empilhadeiras a combustão são utilizadas em ambientes externos. Porém, os equipamentos Hyter-Yale são preparados para utilização nas mais diversas situações operacionais, ou seja, desde ambientes mais agressivos e que requerem alta produtividade, até locais sujeitos a altos níveis de dispersão de partículas ou que exijam os limites operacionais da mesma”, informa Costa.

O painel de instrumento de ambas conta com um display LCD monocromático, que exibe os status do equipamento (instalado na coluna de direção para fácil visualização). Outros componentes presentes nos modelos são: sistema hidráulico com filtragem interna que evita contaminação e garante maior tempo de vida útil aos componentes; coluna de direção ajustável, além de configurações personalizadas como controles de velocidade, sistemas de telemetria; Spotlight azul e sistemas de mini alavancas.

Robustas e confiáveis, as versões XT e MX têm garantia de 36 meses ou de seis mil horas para o trem de força, a maior garantia do mercado. “Com esses equipamentos oferecemos produtividade elevada, ergonomia superior e excelente suporte pós-venda. Nosso objetivo é proporcionar uma parceria completa, capaz de atender todas as necessidades dos clientes. Contamos com um time que fornece consultoria profissional para o gerenciamento de frota, assistência técnica plenamente qualificada e auxiliam com o fornecimento de peças genuínas”, conclui Costa.

 

Fonte: Dezoito Comunicação / Stefane Braga – stefane.braga@dezoitocom.com.br

 

Vai construir ou reformar?

Guia de Produtos

 

Receba nosso conteúdo grátis. ASSINE AQUI!

 

Verificar também

Estudo

Estudo de mercado da Sobratema projeta retomada de vendas em 2018

Apesar da estimativa de queda em 2017, para o próximo ano o estudo aponta o crescimento de …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *