sexta-feira , 15 dezembro 2017
TEM NEWS

Pavimentadoras de intertravado economizam tempo e dinheiro

Pavimentadoras
 Moinho Comercial Importadora e Exportadora

Com sistema mecanizado, pavimentadoras facilitam a instalação de pisos do tipo intertravado, com a garantia de obras mais rápidas, baratas e bem acabadas

Se você leu nossos artigos sobre pisos intertravados ou já fez uso deles em uma obra, conhece o quanto são opções sustentáveis à construção civil. Mas você sabia que a forma como eles são aplicados, independentemente do local, também pode ser positiva para o bolso e a natureza? O emprego de pavimentadoras ou máquinas de pavimentação com intertravado é o que torna o processo mais eficiente para construtoras, clientes e operários.

Geralmente pré-fabricado, um pavimento intertravado é formado por peças de concreto (bloquetes) sem rejunte, detalhe que permite a absorção de água, tornando-o ecológico. No Brasil, é comum a preferência pela aplicação manual desse tipo de piso, sendo as pavimentadoras equipamentos importados e bastante usuais em obras realizadas nos Estados Unidos e em países da Europa.

 

Pavimentadoras
 O uso de uma pavimentadora otimiza o tempo de obra e preserva as condições físicas do trabalhador – Foto: Moinho

 

Contudo, mesmo que ainda inexplorada por alguns profissionais e empresas do setor nacional, a tecnologia tem conquistado cada vez mais admiradores. E não é para menos! Enquanto uma obra de 2 mil m² demora cerca de um mês para ser entregue, com força de trabalho composta por 18 funcionários, por exemplo, a pavimentação mecanizada utiliza cerca de quatro trabalhadores e é capaz de finalizar a mesma construção em apenas uma semana.

 

O mercado brasileiro de pavimentadoras

Especialistas e empresas pavimentadoras daqui têm como alternativa os modelos de máquina de assentar piso da Moinho, importadora voltada a serviços de pavimentação automatizada de intertravados. Seu diretor, Miguel Bettarello, explica que trouxe para o Brasil um novo conceito da técnica. “Nosso processo é totalmente mecanizado, do nivelamento ao acabamento. Com ele, ninguém toca nos pisos, que chegam paletizados de fábrica e a máquina os apanha diretamente do palete. É um sistema racional, matemático e produtivo”.

Bettarello salienta que o perfil sustentável de uma pavimentadora de piso não inclui somente a rapidez com que ela realiza o trabalho e, consequentemente, a perceptível economia financeira que proporciona. Em sua avaliação, a vantagem principal está na maior produtividade com um número reduzido de operários: “Menos pessoas e menos tempo de obra significa menos lixo, gastos e poluição”.

A empresa, que representa oficialmente no Brasil a marca alemã Optimas, dispõe de dois modelos de pavimentadoras: o Optimas H-88 e o Optimas T-11. O primeiro está entre as tecnologias de pavimentação mais atuais, oferece um ritmo produtivo superior e se adéqua a ambientes menores. Já o T-11 é uma versão mais básica, mas que garante igual desempenho na aplicação dos pisos e consome menos combustível, além de ser facilmente transportada.

 

Pavimentadoras
Segundo a Moinho, a Optimas T-11 oferece equilíbrio entre custo e benefício e facilidade na opração – Divulgação

.

Pavimentadoras
 Veloz, a Optimas H-88, da Moinho, pavimenta qualquer tipo de superfície – Divulgação

 

O executivo da Moinho destaca que, apesar do investimento inicial em uma máquina pavimentadora, as empresas economizam muito com a redução da mão de obra e com os afastamentos relacionados a acidentes de trabalho. “O funcionário que saiba operar uma empilhadeira consegue trabalhar com pavimentadoras. Assim, para quaisquer obras ou mesmo reparos de construção, basta contratar esse operário e mais dois ou três ajudantes”.

 

 

Pavimentações práticas, modernas e versáteis

Pavimentadoras
 Com pavimentadoras, as obras do RJ tiveram apenas oito operários. De forma manual, demandaria 40 – Foto: Moinho

 

Uma das provas de ganhos obtidos com o uso de pavimentadoras mecanizadas é a obra de pavimentação do Parque Olímpico do Rio de Janeiro, realizada pela Moinho entre 2015 e 2016. Segundo Bettarello, a instalação dos blocos foi feita por duas máquinas Optimas H-88 com capacidade individual de assentar, em média, 700 m² de piso intertravado por dia. “Para assegurar qualidade na colocação, houve apenas um acompanhamento minucioso do trabalho, garantindo o posicionamento correto das peças.

 

Pavimentadoras
  Vista aérea da lança da pavimentadora – Foto: Moinho

 

O diretor aponta, ainda, que a versatilidade é outro grande benefício da pavimentadora, uma vez que qualquer tipo de construção pode se beneficiar com o emprego de uma máquina de pavimentação com intertravado. As únicas determinações são a liberação da área e uma análise criteriosa da configuração das obras; uma edificação de menor porte, por exemplo, demanda menos maquinários e trabalhadores.

Na escolha das pavimentadoras também é fundamental considerar a variação dos blocos e seus ‘desenhos’ em relação ao projeto. Para praças e calçadas, são indicadas peças menores, de 6cm de espessura. Ruas e avenidas pedem peças de 8cm. Já os blocos de 10cm são ideais para locais de tráfego intenso, como corredores de ônibus, postos de combustível em estradas, portos, enfim, locais que recebem caminhões pesados, em geral”, conclui o diretor.

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

EPI

Novos modelos de EPI provam que proteção é sustentabilidade

Mercado inova e traz para o Brasil as tecnologias mais atuais em Equipamentos de Proteção …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *