TEM NEWS

Produto da reciclagem de pneus ganha espaço na pavimentação de rodovias

Pneus
JC Online – UOL

Produto da reciclagem de pneus ganha espaço na pavimentação de rodovias

Quando troca os pneus do seu veículo, uma pessoa, mesmo inadvertidamente, pode estar criando um problema. Pneus não desaparecem com facilidade. Deixados na Natureza, os levam entre 300 e 400 anos para se decompor. Por lei, não podem, por exemplo, serem usados na fabricação de outros pneus. Abandonados ao relento, acumulam água e transformam-se em risco para a saúde pública, como criadouros de transmissores de doenças como o mosquito da dengue. Multiplique a ameaça: só no Brasil, mais de 30 milhões de pneus são descartados por ano.

 

Pneus
Angie de Sawara Chiba ken Japan

 

A boa notícia é que estão surgindo novas soluções para o problema da reciclagem dos pneus. Uma delas é a mistura descontínua com ligante asfáltico modificado por borracha triturada de pneus e compactado a quente, ou, mais simplesmente, o asfalto ecológico ou o asfalto borracha. Em resumo, o pneu velho é triturado até a borracha transformar-se em um pó bem fino (o aço, separado por ímãs, é vendido a siderúrgicas). Depois, esse pó é misturado ao asfalto convencional e unido com brita. O material pode então ser usado, com vantagens, para pavimentar ruas e estradas.

Como envolve um processo industrial, o asfalto ecológico custa mais caro – cerca de 30% a mais que o asfalto convencional – mas, além das vantagens ecológicas, é mais durável, resistente e apresenta benefícios para a segurança, como diminuir o risco de derrapagens e reduzir o spray, aquele borrifo de água lançado para trás pelo veículo quando chove e ele em contato com a pista molhada.

 

Betuseal asfalto borracha
Betuseal asfalto borracha

 

Ele chega ser 40% mais resistente que o asfalto convencional nas mesmas condições de uso. Por isso, vem sendo cada vez mais usado pelas grandes concessionárias de rodovias. No sistema Anchieta-Imigrantes, a principal ligação entre a cidade de São Paulo e o litoral, por exemplo, a Ecovias tem 88 quilômetros cobertos pelo asfalto ecológico. Só para preencher esse espaço, foram reciclados 360 mil pneus.

O processo foi criado nos Estados Unidos em 1960, por Charles MacDonald, mas só chegou ao Brasil em 2001, quando expirou a patente que protegia a tecnologia. Não há um cálculo exato sobre quantos quilômetros pavimentados com o asfalto ecológico no país, mas os especialistas calculam o total em cerca de 8 mil quilômetros. Como a malha do país é de 170 mil quilômetros, há espaço para crescer.

 

Betuseal asfalto borracha
Betuseal asfalto borracha

 

Na maior parte dos casos, a aplicação é feita por grandes concessionárias. O Grupo EcoRodovias, que controla a Ecovias, tem 22% das estradas sob sua administração usando o asfalto ecológico. Na CCR, outra grande concessionária, a porcentagem é de 15%. Na gaúcha Univias, o total é de 17 quilômetros e está em curso um programa de ampliação. Para cada quilômetro pavimentado com o asfalto ecológico, a Ecovias emprega 600 pneus e a Univias, 1.000.

 

Pneus
Meio ambiente culturamix.com desenvolvimento sustentavel reciclagem de pneus

 

Portanto, na hora de trocar os pneus, fique menos preocupado. O problema existe. Mas novas soluções estão em curso e melhorando o quadro antes sombrio da reciclagem de pneus. E, além disso, muitas delas ajudam a economizar asfalto, ele mesmo um nada sustentável derivado do petróleo.

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

demolição

Demolição controlada pode oferecer sustentabilidade?

Métodos específicos e condutas de responsabilidade de quem contrata fazem parte da demolição controlada, garantindo …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *