TEM NEWS

Serello Ambiental se consolida no cenário do agregado reciclado nacional

Serello
Usina Serello Ambiental – Divulgação

Uma parceria entre a Serello Ambiental e a Weir Minerals deu origem a uma usina de reciclagem de resíduos completa na Região Metropolitana de Campinas e com a ambição de ser referência nacional no mercado.

Dentro de um cenário desafiador e até obscuro, devido as instabilidades políticas e econômicas do país, uma iniciativa audaciosa da Serello Ambiental, empresa focada em fornecer materiais agregados reciclados com valor agregado ao setor da construção civil, é uma luz que se acende para atender totalmente as necessidades de reciclagem de entulho da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

 

Serello
Cerimônia de inauguração da usina

 

Além da questão política, o setor de resíduos de construção e demolição (RCD) sofre ainda com a falta de arcabouço legal na maioria das cidades, dificulta muito a efetivação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos e da Resolução 307 do CONAMA, o que dá espaço para a precária fiscalização, destinação incorreta do resíduo e, por conseguinte a não-reutilização dos materiais reciclados, entravando o desenvolvimento de um setor que tem tudo para ser um dos mais ativos da nossa economia.

Embora a princípio hajam tantas dificuldades, o pessoal da Serello Ambiental trabalha firme tendo uma meta estabelecida que prevê até 2020, todo o entulho da RMC sendo captado e processado lá. “Temos capacidade para atender aos 20 municípios que integram este conglomerado. A Serello está habilitada para operar desde o recebimento do entulho, triagem separação de todos os materiais reciclados com beneficiamento do material inertes, respectiva britagem até a separação”, informa Rafael Cossiello, sócio-proprietário e diretor comercial da empresa.

 

Serello
Rafael Cossiello e Pedro Serapião, sócios-proprietários da Serello Ambiental – Divulgação

 

“Outro grande desafio é o de vencer a barreira cultural de que o produto reciclado não atende às qualidades técnicas necessárias para substituir o produto de Cava mineral”, reconhece o diretor. Porém, também comemora o fato de que um de seus primeiros clientes ter sido a CCR, ou Camargo Corrêa Rodovias, que está aplicando seus produtos no segmento de pavimentação asfáltica das rodovias.

 

Serello-Weir, parceria sólida com uma marca internacional

A Serello buscou um parceiro “Top” para realização de seu plano ambicioso de fornecimento de produção e venda de agregados reciclados. Segundo Pedro Serapião, sócio-proprietário e diretor técnico da empresa, eles buscaram que há de mais avançado na tecnologia de britagem, considerando a melhor relação custo benefício, para aumentar a eficiência dos processos. “Existem no Brasil plantas mais caras, entretanto, menos eficientes que a Serello. Da mesma maneira, existem plantas mais econômicas, mas que também não possuem a robustez na qualidade e na velocidade de processamento que a usina de Valinhos”, enfatiza Cossiello.

 

Serello
Planta Weir Minerals que opera na Serello – Divulgação

 

Nesta nova usina da Serello, a Weir Minerals atua com a engenharia da marca Trio®, recém-adquirida pelo grupo, atendendo a todos os requisitos técnicos e operacionais para uma planta robusta e de longa vida útil. Ao todo a planta conta com dois alimentadores vibratórios, duas peneiras (sendo uma de dois decks e outra de três decks), um separador magnético, um britador de mandíbulas e um britador horizontal de impacto. Atendendo a requisitos legais, a maior parte dos equipamentos foram produzidos localmente, viabilizando o financiamento do BNDES, através do FINAME. Os equipamentos foram produzidos ou montados na planta da Weir Minerals em Jundiaí.

A Weir, é um reconhecido provedor global de equipamentos e soluções para mineração e processamento mineral, incluindo bombas, hidrociclones, HPGR’s, válvulas, britadores, peneiras e telas, revestimentos de moinhos, e revestimentos anti-abrasivos, que se lançou ambiciosamente neste mercado de RCD a fim de se tornar uma referência tecnológica para as usinas de reciclagem.

 

Serello
Equipamentos da TRIO, uma marca do Grupo Weir Minerals – Divulgação

 

“A escolha da Weir como parceiro tecnológico veio através da robustez do corpo técnico, da estrutura de simulações de processos, da proximidade com as áreas envolvidas na venda, pós-venda e desenvolvimento, na proximidade logística com a planta de produção e pela confiabilidade dos produtos fabricados”, enfatiza Cossiello.

Segundo Rafael Cossiello, a capacidade nominal será de 100 toneladas por hora, ou aproximadamente 1.000 toneladas por dia, o equivalente a 200 caçambas por dia. Os produtos fabricados são areia reciclada, pedrisco reciclado, brita 1 reciclado, acham reciclado, brita granulada simples, bica corrida grossa, bica corrida fina e cavaco de madeira. O material que antes seria direcionado a aterros, agora reciclado, poderá ser reutilizado na construção civil, sem nenhum impedimento técnico.

 

Acesse ao vídeo institucional da inauguração da usina da Serello Ambiental:


Serello
Vídeo

 

Sustentabilidade é palavra-chave na Serello Ambiental

Há 15 anos o Conselho Nacional do Meio Ambiental (Conama) estabeleceu diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Segundo Cossiello, essa resolução veio como um grande farol de esperança para milhões de brasileiros e milhares de cidades que vinham sofrendo com a destinação incorreta do entulho em rios, lagos, terrenos baldios e lixões. “Tanto tempo se passou e o entulho ainda é descartado nesses mesmos lugares e tratado como lixo, sendo muitas vezes misturado aos resíduos orgânicos domésticos e destinado em aterros sanitários”, lamenta o empresário.

No que tange às questões ligadas ao impacto ambiental gerado pela nova usina, Cossiello declara: “…buscamos respeitar o meio ambiente através da reciclagem, garantindo assim recursos para as gerações futuras. Qualidade e segurança são valores aplicados aos nossos colaboradores e incorporados por meio de tecnologias de ponta”.

 

Serello
Programa de plantio de árvores nativas

 

“Foi construído um tanque de captação de água pluvial, então toda a água decorrente de chuva é utilizada em nossos processos de britagem e umectação das vias por onde os caminhões trafegam. Investimos em cerca de 700 mudas de espécies nativas plantadas no perímetro da Serello para filtrar e mitigar a eventual propagação de particulados de poeira”, finaliza o diretor.

O investimento total do projeto foi de cerca de R$12 milhões com a geração inicial de 15 novos postos de trabalho. O projeto é apoiado pela Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo, que valoriza a gestão responsável de resíduos sólidos.

 

Fonte: AMZ Comunicação / Kátia Nunes

 

Fique informado sobre as novidades aqui do portal. Assine.


 

Verificar também

Fogo amigo

Fogo amigo Uma das maiores dificuldades das usinas de reciclagem de resíduos da construção civil …

Um comentário

  1. JBS do entulho??? dinheiro do BNDEs.. do Desenvolve SP…. só amparam os grandes, infelizmente essa instituições não atuam no escopo para o qual foram criadas, dinheiro público, barato, nas mãos de poucos =/

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *