sexta-feira , 19 janeiro 2018
TEM NEWS

Shoppings nacionais investem em construções sustentáveis e recebem certificação ambiental

Shoppings sustentáveis The Globe and Mail
Shoppings sustentáveis The Globe and Mail

Shoppings nacionais investem em construções sustentáveis e recebem certificação ambiental

Um fato não pode ser negado: é enorme a oferta de serviços que os shoppings oferecem; produtos e soluções não faltam e o lazer é garantido. Mas alguma vez você já caminhou por um shopping center e parou para pensar se ali existem recursos sustentáveis ou a prática de ações social, econômica e ambientalmente responsáveis? E principalmente: Como ele foi construído? Será que seu projeto foi executado com base em processos de sustentabilidade?

Foi justamente com foco nesses questionamentos e no cuidado com que esses centros de compra devem ter não só com seus lojistas e clientes, mas também com o meio ambiente, que as administradoras e construtoras de shoppings passaram a investir em métodos sustentáveis. Diante dos recursos energéticos e financeiros que esse tipo de empreendimento consome, além da quantidade significativa de resíduos que gera, a mudança de hábitos se fez vital.

E não poderia ser diferente, sobretudo com o número expressivo de shoppings que são criados frequentemente no Brasil e o espaço que eles ocupam nos bairros. Para se ter ideia, a estimativa da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) é de que, até dezembro deste ano, sejam inaugurados 16 shoppings no país, totalizando 565 centros comerciais nesse padrão e mais de 35 milhões de metros quadrados de área construída.

 

Práticas que tornam o shopping center uma edificação sustentável

Dreamstime
Dreamstime

 

Mas afinal, o que fazer para que os shoppings sejam construídos ou transformados em edificações efetivamente sustentáveis, a ponto de serem reconhecidos com a atribuição de um selo verde ou certificação ambiental? Para entrar para o rol dos chamados green buildings, edifícios cada vez mais difundidos por aqui e pelo mundo, exige-se da administração dos malls uma mudança de costumes e conceitos desafiadora e realmente eficaz, seja na etapa de construção, seja nas práticas adotadas durante o uso do empreendimento.

Incluem-se aí, ações voltadas a gestão ambiental e técnicas que visam reduzir os impactos dos shoppings ao meio ambiente, à economia e à sociedade. Dentre os caminhos possíveis, segundo Glauco Humai, diretor presidente da Abrasce, estão a adoção de luminosidade natural, com vãos de vidro e claraboias ou iluminação com lâmpadas de LED; sistemas inteligentes de escadas rolantes e ar-condicionado; economia de água; e substituição de energia elétrica por energias renováveis com eficiência energética; entre outros procedimentos.

 

Shoppings sustentáveis: do planejamento à certificação ambiental

Nada como conhecer exemplos reais para entender, na prática, métodos que dão a um centro de compras o título de sustentável! Veja, a seguir, alguns dos shoppings brasileiros (localizados nos estados de Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e São Paulo) que entraram para a categoria de “edifícios verdes” e a certificação ambiental cedida a cada um deles por suas atitudes ecológica e financeiramente positivas:

 

RioMar Recife

Dentre os shoppings que contam com iniciativas sustentáveis, o RioMar está entre os que aplicaram os indicadores de sustentabilidade da concepção do projeto até a sua operação. Valorização da paisagem, implantação de domos de vidro, trabalho social com a comunidade ao redor, sistema de automação e climatização eficientes, recuperação da área verde, esgoto a vácuo e captação de água de chuva, além de várias outras ações, permitiram ao shopping receber o selo francês AQUA/HQE, certificação ambiental concedida pela Fundação Vanzolini.

 

Fachada RioMar Recife - Vinícius Lubambo
Fachada RioMar Recife – Vinícius Lubambo

 

Para Sérgio Maffioletti, gerente socioambiental do Grupo JCPM, e Jussara de Paula, analista ambiental do RioMar Recife, não existe mais a ideia impeditiva de que a construção e operação de equipamentos sustentáveis são mais caras. “É preciso entender que o processo de certificação ambiental proporciona um ganho significativo em termos econômicos, sociais e ambientais. É possível gerar uma economia operacional dentro da própria cadeia comercial, com a valoração dos materiais recicláveis e/ou a venda de excedente de energia no mercado livre”, observam.

 

Shopping Bosque dos Ipês

LEED Silver foi a certificação ambiental conferida ao empreendimento por sua construção sustentável, sendo ele o primeiro a receber no Brasil tal classificação nessa categoria. A conquista se deu graças aos estudos que permitiram racionalizar o uso do transporte por clientes e à captação e aproveitamento de águas pluviais, ao monitoramento do consumo hídrico, aos sistemas de ar-condicionado e iluminação que economizam energia e ao reaproveitamento de entulho limpo durante a construção.

 

Fachada Shopping Bosque dos Ipês
Fachada Shopping Bosque dos Ipês

 

Benjamim Oliveira, diretor de marketing do+.

Grupo JCC que administra o shopping, explica que no processo de certificação ambiental foi exigido, já na concepção do projeto, o cumprimento de diversas normas com o objetivo de aprimorar o uso racional de recursos ambientais. “Durante a obra, uma empresa independente foi responsável por fiscalizar a execução dos projetos conforme especificado e, na entrega do edifício, fazer o comissionamento de todos os sistemas atestando para o GBC Brasil que o empreendimento atende aos requisitos necessários para obtenção do certificado”.

 

Shopping San Pelegrino

Fachada Shopping San Pelegrino
Fachada Shopping San Pelegrino

 

Para conquistar a certificação ambiental LEED Core & Shell do GBC Brasil, o espaço foi construído de forma a reduzir os resíduos da obra, evitando que fossem lançados em aterros, e diminuir a extração de materiais novos para uso na construção, o que eliminou um possível aumento no consumo de energia. Outra prática que rendeu o selo verde ao shopping é o monitoramento da qualidade do ar, para garantir a saúde de seus ocupantes, e a redução de 30% no consumo de água e 6% no de energia elétrica.

 

Tietê Plaza Shopping

Projeto Tietê Plaza Shopping
Projeto Tietê Plaza Shopping

 

O controle dos recursos naturais e o foco na redução dos impactos ambientais foram os principais objetivos do empreendimento na busca por sustentabilidade, pilares que também renderam ao shopping em São Paulo a certificação ambiental LEED Core & Shell Prata para envoltória e estrutura principal. O gerenciamento de 68% dos resíduos da construção, uso de equipamentos que economizam água potável, tratamento de esgoto e o emprego de materiais regionais e de sistemas eficientes de energia são alguns dos indicadores executados pelo mall.

 

Fachada Tietê Plaza Shopping
Fachada Tietê Plaza Shopping

 

Quando o assunto é a busca de shoppings por mais eficiência e sustentabilidade e, consequentemente, a obtenção de uma certificação ambiental, vale destacar que as ações implementadas também podem servir de exemplo aos próprios lojistas, que devem se basear nelas para adotar medidas sustentáveis em seus estabelecimentos. Um movimento conjunto não só beneficiará meio ambiente e sociedade, como proporcionará ao empreendimento valorização comercial superior quando comparada a de um shopping convencional.

 

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

Construções Sustentáveis

Construções Sustentáveis apostam no BIM como aliado para projetos

Tecnologia é hoje a principal ferramenta para o desenvolvimento de construções sustentáveis e ecologicamente corretas …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *