sexta-feira , 15 dezembro 2017
TEM NEWS

A transformação de edificações industriais em opções sustentáveis

edificações
Pixabay

Aplicar conceitos de sustentabilidade em projetos industriais pode criar edificações que gastam menos e impressionam em performance

Seja lá qual for o padrão ou porte de um projeto, fato é que todos têm seus desafios técnicos e construtivos. Tratando-se de edificações de cunho industrial, então, a complexidade pode fazer parte do planejamento à execução. E é para minimizá-la e garantir otimização às construções que entram os processos sustentáveis de engenharia civil, com recursos que facilitam a gestão global da obra e equilibram custos, prazos, aspectos ambientais e qualidade.

Eles servem não apenas para potencializar o desempenho antes e durante a estruturação do imóvel industrial, mas também para aprimorar o pós-obra. Tornam mais positiva a operação das edificações, oferecem conforto aos usuários e melhoram os valores de locação ou possível venda. O resultado favorável ainda inclui o aumento da obtenção de certificações ambientais, o que significa uma considerável valorização. Hoje, o Brasil conta com 82 construções com selo LEED®, isto é, quase 7% dos empreendimentos totais certificados.

 

Um exemplo bem-sucedido

Clique na imagem para ampliar

Na cidade de Dourado, interior de São Paulo, a fábrica de cookies para cães, PremieR Pet, é uma dessas edificações que adotaram métodos práticos, sociais, econômicos e ecológicos mais conscientes em todos os seus processos. Segundo Adriana Hansen e Beatriz Aruth Sturm, coordenadoras de projetos sustentáveis do CTE – Centro de Tecnologia de Edificações, responsável pela assessoria em sustentabilidade, a indústria foi concebida por meio de diretrizes definidas em conjunto com projetistas, instaladores, proprietários e operadores.

 

 

Criada para se tornar uma das fábricas mais modernas da América Latina, teve sua obra executada em concreto pré-fabricado e conta com cobertura em telhas termoacústicas trapezoidal, com aberturas zenitais para iluminação natural. “Também foram previstas grandes aberturas nas fachadas da edificação, para acesso visual a partir das áreas externas à área de produção, que será 100% automatizada. Além disso, brises de policarbonato garantem a diminuição da carga térmica que seria gerada por tais aberturas”, observam as profissionais.

 

edificações
A iluminação zenital na cobertura e demais recursos luminotécnicos reduziram em até 70% o consumo de energia – Foto CTE

 

Em processo de certificação LEED® BD+C Nível Gold, indicada a novas edificações, a fábrica está em início de operação, o que não impede a estimativa de redução de R$ 145 mil por ano nos custos com energia elétrica e gás. Outros benefícios incluem menos impactos ambientais ao espaço e arredores, melhor qualidade do ambiente para os funcionários e diminuição de 72% no consumo de água potável para uso humano e 100% para o paisagismo. Para obter tais ganhos, as técnicas aplicadas incluíram:

 

  • A implementação de um projeto de drenagem provisória de obra com controle de erosão e sedimentação.
  • A construção de bases adequadas para armazenamento de combustíveis e solventes.
  • Kits de mitigação para o caso de vazamentos e prevenção da contaminação do solo e da água.
  • A instalação de lava botas e lava rodas para redução da carreação de sedimentos.
  • 100% dos resíduos gerados desviados de aterros.
  • Emprego de 77% de materiais regionais, extraídos e manufaturados a até 800 km de distância do local da obra.
  • Uso de pisos, tintas e selantes com baixo teor de compostos orgânicos voláteis.
  • Demandas voltadas a drenagem, restauração de vegetação nativa e fluxos de transporte alternativo.
  • Adoção de dispositivos economizadores de água, como mictórios secos, torneiras de baixa vazão e bacias com descarga dual flush.
  • Reaproveitamento de águas pluviais captadas no terreno por meio da coleta e direcionamento a grandes lagoas de retenção para irrigação e descarga dos vasos sanitários.
  • Uso de forno de alta performance com funcionamento 100% automatizado e recuperador de calor.
  • Aplicação de luminárias LED, em conjunto com uma distribuição devidamente executada para garantia de níveis mínimos de iluminação, e sensores de luminosidade.
  • Fornecimento de bicicletário e bicicletas individuais para locomoção dentro do complexo; serviço de transporte coletivo com rotas para as cidades da região; e previsão de somente oito vagas de automóveis, sendo duas exclusivas para veículos de baixa emissão e baixo consumo e uma equipada com estação de recarga para veículos elétricos.

 

Vida longa a edificações industriais sustentáveis

Na opinião de Adriana e Beatriz, a criação de indústrias com propósito sustentável é crescente, especialmente em virtude da preocupação do mercado de construção civil com a redução de custos operacionais e o uso de equipamentos de ar-condicionado mais eficientes e sistemas de iluminação de alta perfomance. Para elas, “edificações industriais ainda estão um passo à frente em relação ao tratamento de efluentes, seja por exigência legal no caso de atividades poluidoras, seja por inexistência de um sistema público de esgoto”.

De acordo com as especialistas, ainda é longo o caminho a percorrer quando o objetivo é oferecer mais sustentabilidade aos processos. No entanto, são categóricas ao afirmarem que ações do tipo demonstram que a edificação é capaz de se manter como referência a longo prazo e que as tecnologias e recursos implementados não se tornam obsoletos rapidamente, fato que assegura performance, redução de custos com a operação e eliminação de impactos ambientais.

 

edificações
Em edificações industriais, a atenção a possíveis falhas de controle evita desperdício e garante melhor performance energética – CTE

 

“Também há uma atuação importante dos setores públicos e concessionárias para viabilização de estratégias como geração de energia renovável e reutilização de água tratada, bem como benefícios fiscais para edifícios que gerem menor impacto ambiental, o que só faz aumentar o número de edificações sustentáveis ligadas à indústria. Quanto à certificação, é um processo novo para o setor e certamente há inúmeras possibilidades de ampliação desse mercado”, concluem as coordenadoras do CTE, apontando um futuro promissor para o segmento.

 

Ficha técnica | PremieR Pet

Área construída

7.700 m²

Ano de entrega

Agosto de 2016

Consultoria em sustentabilidade

CTE – Centro de Tecnologia

de Edificações

Construção

Pré-Vale Pré-Moldados

Arquitetura

Marcelo Bienzobás

Arranjo físico

AGE Engenharia

Instalações elétricas e luminotécnica

GRS

Lagoa de retenção e reúso de águas pluviais

Ciciliati

Giacomelli

Louças sanitárias

Incepa

Luminárias

Incoled

Mictório seco

Fabrimar Acquafree

Processo industrial (forno)

Imaforni

Torneiras de copa e lavatórios de

baixa vazão

Docol

Válvulas de descarga

Docol Salvágua

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

 

Verificar também

Construções Sustentáveis

Construções Sustentáveis apostam no BIM como aliado para projetos

Tecnologia é hoje a principal ferramenta para o desenvolvimento de construções sustentáveis e ecologicamente corretas …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *