TEM NEWS

Vento ventania levando o Brasil e elevando sua energia

vento
 Exemplo de micro geração de energia eólica

Vento dos quatro cantos deve fazer com que micro e minigeração de energia eólica alcancem o nível da geração de grande porte no País

Produzida a partir da força do vento, a energia eólica já é responsável por cerca de 8% da matriz energética brasileira. E diferentemente do ditado popular, de que o vento sopra apenas do leste, na realidade, aqui no Brasil, ele vem dos quatro cantos. Apesar do Nordeste como principal polo, há empreendimentos de fonte eólica em operação, em construção e ainda não iniciados crescendo em todo o País.

Já dizia a canção da banda Biquini Cavadão, “Vento, ventania, me leve para qualquer lugar”, hoje, a grande motriz é a geração eólica de grande porte, setor que o Brasil ocupa a décima posição no mundo em termos de capacidade instalada, com tendência a ganhar duas ou três posições em breve.

Mas o País poderia investir fortemente também na microgeração de energia, distribuída à central geradora com potência instalada de até 75 kW, e na minigeração, acima de 75 kW e até 5 MW – sendo 3 MW para a fonte hídrica. Isso definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Afinal, o mesmo vento vale para os diferentes segmentos.

 

 Turbina em telhado de prédio no Rio de Janeiro - Foto - O Globo - Divulgação
 Turbina em telhado de prédio no Rio de Janeiro – Foto – O Globo – Divulgação

 

Em termos de geração eólica de pequeno porte, o Brasil está ausente das estatísticas mundiais. Estima-se que, se estivesse presente, estaria além da décima quinta posição, e isso caso fossem computados os sistemas off grid, sem os quais nossa participação seria inexpressiva”, afirma Luiz Cezar Pereira, Diretor Técnico da Enersud Energia Limpa, empresa fundada em 2002.

Numa revisão feita em 2015 sobre a Resolução Normativa ANEEL 482/2012, que passou a valer no ano passado, um novo passo para os sistemas de pequeno porte foi dado. Foi criado o Sistema de Compensação de Energia Elétrica, que permite a instalação de pequenos geradores, como microturbinas eólicas e soluções para outros tipos de energia, tal qual a solar, numa unidade consumidora.

Dessa forma, a energia gerada pode ser trocada com a distribuidora local, com o objetivo de diminuir o valor da fatura de energia elétrica. E no caso de geração de energia superior à consumida num determinado mês, o consumidor fica com créditos para reduzir as faturas conseguintes. Ou seja, além de representar uma energia alternativa, pode gerar uma economia considerável no bolso dos consumidores. Dessa forma, o morador de uma cidade que vive reclamando do vento pode acabar se beneficiando dele, na realidade.

 

 Luiz Cezar Pereira - Diretor da Enersud
 Luiz Cezar Pereira – Diretor da Enersud

“Esse é um mercado que deverá crescer, até alcançarmos um nível de participação global parecido com o que temos na geração eólica de grande porte, com a instalação de mais de 2000 sistemas”, relata Pereira. Entretanto, é um mercado ainda restrito. “Poucas empresas operam na área de fabricação. Pouquíssimas estão no mercado há mais de dez anos”.

E ainda menor é o número de empresas que utilizam produto nacional, oferecendo assistência dentro do país. Na área de instalação, o número também é muito pequeno, porém vem crescendo, especialmente com as parcerias que a Enersud está realizando com instaladores locais por todo o Brasil”, complementa Pereira.

O Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL), organização privada sem fins lucrativos, chama a atenção quando do desenvolvimento de um projeto eólico. O projeto de instalação e de conexão à rede de um micro ou minigerador eólico deve ser realizado por uma empresa com experiência comprovada nessa área e por profissionais devidamente habilitados. O guia eólico do IDEAL completo pode ser acessado aqui.

 

 Grandes usinas eólicas ainda dominam o segmento no Brasil
 Grandes usinas eólicas ainda dominam o segmento no Brasil

 

Casos de pequenos projetos eólicos

No Rio Grande do Sul, em parceria com o extinto MDA, foram instalados seis sistemas híbridos on grid, compostos de turbinas de eixo horizontal de 1 kW e linhas de módulos fotovoltaicos de 1kWp. O projeto foi feito numa área de terra para um pequeno produtor rural, uma comunidade Quilombola, Cooperativas, um colégio agrícola e uma unidade de pesquisa”, detalha Pereira.

Outro case lembrado pelo Diretor Técnico da Enersud foi a instalação de uma turbina de 1 kW, off grid, numa instituição de amparo a menores de Cabo Frio (RJ), que atende a um sistema de câmeras de segurança, ventilação, chocadeiras, entre outros.

 

 Hotel Salinópolis, localizado em Salinópolis (PA), não é apenas elogiado pela bela vista, mas também pela geração de energia provinda do vento
 Hotel Salinópolis, localizado em Salinópolis (PA), não é apenas elogiado pela bela vista, mas também pela geração de energia provinda do vento

 

No entanto, na visão de Luiz Cezar Pereira e da Enersud, o cliente ideal é exemplificado por uma execução em 2006. Um homem chamado Carlito não tinha a possibilidade de ter energia em casa, na região de Barro do Furado, norte do estado do Rio de Janeiro. Entrecortada por canais e por uma área de proteção ambiental, a região não tem acesso à energia elétrica. A única maneira seria gerar sua própria energia.

Carlito vivia numa casa isolada, que tinha um cata-vento de madeira, um engenhoso sistema de correias e um alternador de um automóvel. Chamou muito a minha atenção”, conta Pereira. O morador da residência explicou que, com suas habilidades de mecânico, eletricista e marceneiro, havia construído por conta própria a turbina que alimentava baterias.

Com a energia gerada, ele alimentava uma TV de 4 polegadas, ainda em preto e branco. Mas o sistema só gerava energia quando tinha muito vento. Isso o obrigava a, periodicamente, colocar as baterias na bicicleta e leva-las até a cidade mais próxima para carregar. “E naquele ano de 2006, estávamos terminando os testes de longa duração em um novo produto. Resolvemos instalar o protótipo definitivo na casa do Seu Carlito”, relembra Pereira.

 

 Com economia financeira e de energia, fontes alternativas chamam cada vez mais atenção de donos de hotéis e pousadas
 Com economia financeira e de energia, fontes alternativas chamam cada vez mais atenção de donos de hotéis e pousadas

 

Isso foi feito na proximidade do Natal, quando o ‘cliente’ disse que aceitava, mas não de graça. Ele queria pagar pelo equipamento. Algum tempo depois, voltamos ao local e o Seu Carlito mostrou, orgulhoso, a lâmpada da cozinha funcionando e a sua televisão colorida de 20 polegadas. Naquele dia ele pagou sua primeira prestação. Com uma dúzia de ovos”, finaliza.

 

 

Quer se manter informado sobre outros projetos, tecnologias e eventos para construção sustentável? Assine o nosso boletim informativo!

Verificar também

Soluções para economia no Dia Mundial da Água

Além de ações tomadas por empresas para economizar a água, outras técnicas podem reduzir o …

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *